O mito da garrafa PET nociva

FALAR MAL DO PLÁSTICO NÃO RESOLVE O PROBLEMA. MAS MELHORAR O PLÁSTICO SIM. ESTA É A NOSSA MISSÃO. E TEM SIDO ASSIM POR MAIS DE 60 ANOS.

O mito da garrafa PET nociva

O plástico não tem descanso. Ele é atacado por todos os lados. Muito do que se argumenta sobre o dano causado pelas embalagens plásticas ao meio ambiente são ideias preconcebidas e meias verdades. 

Se o plástico for usado com responsabilidade e for reciclado com frequência após o uso e pelo maior tempo possível, ele será mais sustentável do que materiais alternativos para embalagens. Desenvolver e tornar realidade tais soluções é justamente nossa área de especialidade e fazemos isso há mais de 60 anos.

A ALPLA é pioneira no desenvolvimento e na produção de soluções em embalagens sustentáveis utilizando plástico e até hoje é exemplo no mercado. Operamos nossas próprias usinas de reciclagem em diversos locais da Europa e estabelecemos parcerias que buscam otimizar o uso de recursos e a produção de plásticos reciclados de alta qualidade.

Estamos combatendo o “mito da perigosa garrafa PET” aqui com fatos robustos para aqueles que demonizam o plástico. Prepare-se para se surpreender! Alguns dos fatos farão você rever seus conceitos e talvez repensar suas próprias ações.

MITO 1: RESÍDUO PLÁSTICO

A maior parte dos resíduos de embalagens é plástico.

A verdade:

As embalagens plásticas compõem apenas uma parcela pequena dos resíduos de embalagens.

  • Em toda a Europa, as embalagens plásticas representam aproximadamente apenas 19% do total de resíduos de embalagens.
  • Proporções significativamente maiores do total de resíduos de embalagens, volume que tem aumentado um pouco desde 2007, podem ser atribuídas a papel e papelão
Fonte:
Eurostat (env_waspac)

MITO 2: PEGADA ECOLÓGICA

Vidro, papel e metal são mais ecologicamente corretos do que o plástico.

A verdade:

O PET é um material de embalagem sustentável.

  • Em comparação com a pegada ecológica de vários materiais de embalagem, o plástico frequentemente se sai melhor do que o vidro ou o metal.
  • A produção de garrafas PET emite menos carbono do que as garrafas de vidro.
  • O plástico é muito leve e, por isso, causa menos emissões de carbono do que outros materiais de embalagem ao ser transportado.
  • O PET tem a grande vantagem de poder ser reciclado com muita facilidade e economia de recursos.
Fonte:
c7-consult

MITO 3: CONSUMO DE MATERIAL

A indústria não está fazendo nada para reduzir o uso de plástico.

A verdade:

Otimizações resultaram em uma redução anual de quase 6,2 milhões de toneladas de plástico na Europa Ocidental.

  • Em média, embalagens feitas de plástico se tornaram 25% mais leves desde 1991, por exemplo, graças à melhoria das propriedades de materiais, bem como os avanços na tecnologia de produção e no design. Isso resulta em uma redução de quase 6,2 milhões de toneladas por ano só na Europa Ocidental.
  • Mesmo com essas reduções de peso, as embalagens de plástico atendem a todos os requisitos funcionais, por exemplo, em relação à higiene e segurança de transporte. Nenhum outro material de embalagem atualmente é capaz de oferecer isso.
Fontes:
Associação Alemã da Indústria de Embalagens de Plásticos (IK):
‘Daten & Fakten –„Ressourceneffizienz von Kunststoffverpackungen’;
PlasticsEurope: ‘Plastics – the Facts 2019’

MITO 4: MUDANÇA CLIMÁTICA

As embalagens plásticas nos impedem de atingir as metas de carbono.

A verdade:

As embalagens plásticas criam uma quantidade muito pequena do total de pegada de carbono de uma pessoa.

  • Cada pessoa na UE causa aproximadamente 8,4 toneladas em emissões de carbono por ano. As embalagens causam apenas uma fração em comparação ao transporte, energia e comida, especificamente 0,6%!
  • Só um voo de volta de Viena para Maiorca causa tanta emissão de carbono quanto utilizar embalagens plásticas por aproximadamente doze anos!
Fontes:
Agência Europeia do Meio Ambiente 2017;
CO2 equivalente, calculadora myclimate, 2.900 km
Classe econômica, voo de volta, 1 pessoa

MITO 5: RECURSOS FÓSSEIS

As embalagens plásticas causam consumo de petróleo extremamente alto.

A verdade:

Apenas 1,5% do petróleo bruto produzido globalmente é usado para a fabricação de embalagens plásticas.

  • É necessário muito menos recursos fósseis para produzir plástico do que as pessoas pensam.
  • E mais: diferente do combustível “usado”, o plástico usado pode ser reprocessado várias vezes, conservando, assim, o recurso.
  • Há, ainda, alternativas duradouras na forma de plásticos de base biológica, feitas de recursos renováveis.
Fonte: http://bpf.co.uk/press/Oil_Consumption.aspx

MITO 6: LIXO MARINHO

Os oceanos estão cheios de embalagens plásticas que vêm da Europa.

A verdade:

O lixo marinho é um problema estrutural, não um problema do plástico.

  • 80% dos resíduos nos oceanos do mundo se origina em terra, principalmente nos países em desenvolvimento que não têm um sistema de coleta de resíduos abrangente.
  • Por isso, em tais países a ALPLA promove o seguinte:
    • Conscientização de que o plástico é um recurso valioso em vez de um produto residual
    • Apoio a iniciativas de combate à poluição marinha
    • Estabelecimento de infraestruturas para a coleta, triagem e reciclagem de plástico
Fonte:
Comissão Europeia: ‘A European Strategy for Plastics in a Circular Economy’

MITO 7: ECONOMIA CIRCULAR

As embalagens plásticas no fim das contas acabam virando aterro.

A verdade:

Cada vez menos plástico está virando aterro.

  • Embalagens plásticas usadas estão cada vez mais sendo coletadas em toda a Europa.
  • Apenas uma pequena proporção disso é usada como aterro – e isso está diminuindo o tempo todo. Consequentemente, a proporção de resíduo plástico reciclado e incinerado está crescendo.
  • Quando o plástico é incinerado, a energia contida nele é explorada. A incineração é mais desejável do que o aterramento no caso de plástico que já não pode mais ser reciclado.
Fonte:
PlasticsEurope: ‘Plastics – the Facts 2019’

MITO 8: MICROPLÁSTICO

Embalagens plásticas levam ao microplástico.

A verdade:

As causas principais são tecidos sintéticos e o desgaste de pneus de carro.

  • As embalagens plásticas não contribuem para levar microplástico para o oceano.
  • Quanto mais embalagens plásticas são descartadas corretamente e recicladas, menor a proporção de microplástico secundário.


Se o plástico for mantido no ciclo de materiais, ele não poderá parar na natureza e se transformar em microplástico lá.

Fonte:
IUCN 2017:
‘Primary Microplastics in the Oceans’

MITO 9: SAÚDE

Embalagens plásticas fazem mal à saúde.

A verdade:

As embalagens plásticas podem, na verdade, até proteger a saúde das pessoas.

  • A água contaminada pode ser purificada em garrafas PET transparentes com a ajuda de raios UV. Essa solução simples pode ajudar pessoas que vivem em regiões onde não há acesso à água potável. 
  • Substâncias danosas como bisfenol A (BPA) não são usadas em garrafas PET e tampinhas ou em embalagens plásticas usadas em produtos de cuidado pessoal e de casa.
  • Há quantidades muito pequenas de acetaldeído presentes em garrafas PET. Essa substância natural também pode ser encontrada em alimentos e ocorre como um intermediário no metabolismo humano.
Fontes:
Instituto Federal de Avaliação de Riscos (BfR): ‘Selected
Questions and Answers on PET Bottles’, 2015;
AGPU 201, IK 2017, UBA 2013

Não estamos tentando ser benfeitores. Estamos tentando fazer o bem.

Hoje em dia, o plástico é muito melhor que a sua reputação. Como especialistas líderes globais em embalagens plásticas, trabalhamos incansavelmente todos os dias para torná-lo mais eficiente, mais sustentável e mais ecologicamente correto. Acreditamos firmemente que o futuro pertence às soluções inovadoras e empresas, como a nossa, que realizam tais soluções com responsabilidade, maestria e criatividade.

Assumindo responsabilidade: Isso está no centro de tudo que fazemos.

- Todas as soluções em embalagens serão 100% recicláveis até 2025. - 50 milhões de euros estão sendo colocados à disposição para a expansão das atividades de reciclagem até 2025. - Pelo menos três soluções em embalagens leves por ano, todas completamente livres de PVC.

Exemplar!

A ALPLA já produz muitos exemplos de embalagens sustentáveis para clientes renomados em uma variedade de áreas. Aqui estão apenas alguns dos nossos produtos exemplares:

Estamos liderando pelo exemplo. Quanto mais nos acompanharem, melhor para o meio ambiente.

O que cada um de nós pode fazer: - Ao comprar, dê preferência às embalagens plásticas reutilizáveis com uma alta proporção de material reciclável. - Sempre descarte embalagens plásticas corretamente através do sistema de reciclagem. - Pegue as embalagens que foram descartadas sem cuidado e descarte-as na coleta de recicláveis.